quinta-feira, 26 de julho de 2012

Devo contar que traí?

“Eu namoro há cinco anos e sempre achei traição uma atitude imperdoável e injustificável, até acontecer comigo. Eu e meu namorado começamos a namorar com 16 anos, perdemos a virgindade juntos e eu sempre tive curiosidade de ter novas experiências, apesar de também querer passar a vida ao lado dele. Acabei me envolvendo com outro homem e nós ficamos uma vez. Não sei o que fazer, não quero perder o meu namorado pra sempre, pois acredito mesmo que ele seja o grande amor da minha vida. Mas o fato de eu me interessar por outras pessoas é uma prova de que eu não o amo de verdade? E se a traição não significou nada pra mim, mesmo assim devo contar e perdê-lo pra sempre? O que eu faço?”  Leitora Anônima.

Querida Leitora,

Somos suspeitos para falar desse assunto porque somos extremamente contra traições. Lembrando que traição não significa necessariamente beijar ou transar com outra pessoa, se esse for um acordo e os dois estiverem cientes, não há nada de ruim nisso. Traição significa mentir. Pegar aquela confiança que o outro depositou em você e jogar na lata de lixo. É estar com o coração de alguém em suas mãos e não ser cuidadoso.
Traição é coisa de gente oportunista que não tem coragem suficiente de olhar nos olhos da pessoa e dizer: eu te amo, mas tenho vontade de ficar com outras pessoas. Como resolveremos isso? Porque não é só você que tem vontades, todo mundo tem. Começar a namorar não significa deixar de achar as pessoas interessantes, mas sim conseguir controlar esse desejo por saber que você fez uma escolha que vale mais a pena, e que não podemos ter tudo na vida. Cada escolha significa uma renúncia. Mas os oportunistas querem tudo.
Pessoas contam seus relatos sobre traições como se fosse à coisa mais natural do mundo talvez porque, para os oportunistas, seja mais confortável assim. Dissimulação falta de remorso, manipulação, oportunismo, impulsividade, não importa o motivo, traição é traição. E como, sabiamente, disse Fernando Sabino, “infidelidade é como apanhar o seu sócio roubando dinheiro do caixa”,  a relação está perdida para sempre.
No seu caso, você terá que fazer uma escolha. Não dá pra continuar com seu namorado se você não consegue controlar a vontade de ficar com outras pessoas. Nós sugeriríamos, inclusive, que você contasse o que aconteceu para ele, porque se você teve coragem de trai-lo, precisa ter coragem de contar a verdade. Caso contrário, podemos presumir que falta caráter nessa história. Você correrá um grande risco de perdê-lo, mas pelo menos terá a consciência tranquila. E, a partir daí, poderão decidir juntos o que fazer pela frente.

Listamos alguns motivos pelos quais trair não é uma boa escolha. São eles:

- Você escolheu UMA pessoa no mundo com quem quer ficar e vai enganar justamente ela? E se você tem direito de estar com outras pessoas, ela também tem.

- Achar que traição é normal é coisa de gente egoísta e hipócrita. “Se está bom pra mim, está tudo lindo.”

- Se acha que transar só com uma pessoa é entediante, encontre alguém que tope relacionamento aberto, ménages ou swing. É mais digno e os dois aproveitam igualmente.

- Falar que “se o outro não souber de nada, tudo bem” é coisa de aproveitador barato. Se coloque no lugar do outro por um minuto, estaria tudo bem pra você? Mesmo?

- É preciso ser muito hipócrita pra trair e depois ir deitar de conchinha e achar isso a coisa mais normal do mundo.

- Se você acha que amar significa destruir a pessoa que ama, então precisa rever seus conceitos.

- Você não precisa trair se está com alguém que te faz feliz todos os dias. Vá à luta e encontre alguém que complete a ponto de não precisar de mais ninguém.

- Lembre-se sempre: tudo o que a gente faz, volta. Hoje você ri, amanhã podem estar rindo lindamente de você. Boa sorte!

Texto do site Casal Sem Vergonha

Nenhum comentário:

Postar um comentário