segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Esse cara... não sou eu!!


Por que esse “cara” cantado pelo Roberto Carlos tem feito tanto sucesso por aí? Será que esse herói fantástico existe mesmo? Ou será que ele é apenas um mito, criado pela indústria fonográfica com o objetivo de vender CD’s e inundar as calcinhas, antes secas, das muitas mulheres que passam vidas inteiras reclamando do marido que possuem e esperando por um príncipe encantado?
É só você olhar para seu namorado para sentir vontade de dizer que esse cara perfeito, com certeza, não é ele, mas, espere um pouco, antes de reclamar do seu arroz e feijão, quero que olhe de novo para seu macho e responda-me: será que vale a pena compará-lo com o personagem platônico e impalpável de uma música? Será que faz sentido colocar seu homem real e felizmente imperfeito para duelar injustamente contra um ser utópico e moldado para dar fôlego ao coração já cansado de muitas vovós?
Agora, sob pressão, pode até responder-me que não é certo comparar a muito trabalhadora banana-maçã do seu namorado, com a suposta “banana-de-itu” carregada por esse personagem fictício, nascido de dentro do útero da mídia, mas quando estiver longe deste texto, provavelmente cometerá esta injustiça. Involuntariamente lerá um livro e ansiará pela boca feita de celulose do protagonista comedor existente na história. Irá desejar com sede os tantos tons de cinza, de preto, de azul e quaisquer outros, criados apenas pela mistura de qualidades, sem um pingo de cores feias.
Olhe de novo para o seu namorado, o cara que toda vez espera no mínimo 30 minutos no carro até você terminar de se arrumar. O cara que aguenta seus surtos diabólicos de TPM. O cara que mesmo sem entender nada de sapato, já entrou em sites de moda para tentar acertar no seu presente de Natal. O cara que mesmo sem saber muito o que dizer, conseguiu escrever os mais sinceros cartões que já recebeu. O cara que tentou impressionar transformando carinho em bolo de cenoura e conseguiu encantar quando aprendeu a traduzir o complexo idioma falado por seu silêncio. Agora me diga com muita sinceridade: o cara que quer ao seu lado ainda é o tal Mr. Comedor Grey? O cara que gostaria de ter com você é realmente o Théo da novela? Continua não dando valor para aquilo que é certo em detrimento do duvidoso fruto criado somente para encantar?
Não nego que caras como os da música possam verdadeiramente existir, homens que contarão os segundos quando você demorar, que ficarão todo o tempo querendo te ver, que no meio da noite te chamarão só pra dizer que te amam, que te acariciarão os cabelos, falarão de amor e outras muitas coisas que te causarão calor, mas informo que esses mesmos caras poderão conter estrofes que acabariam com qualquer sonho de música romântica, do tipo:

O cara que peida em você toda hora
Que bebe todas quando viaja pra fora
Que está todo tempo traindo você
Porque já não quer comer só você
E no meio da noite te chama
Pra vomitar na sua cama
Com esse cara fodeu!

Por isso, se por acaso você se pegar desejando alguém que talvez nem exista ou achando que um colunista como eu seria um bom namorado, sem ao menos me conhecer, informo que esse cara provavelmente não sou eu, mas que pode muito bem estar bem ao seu lado e, o melhor de tudo, ser real.

Eu amo os textos do Ricardo Coiro, para o site Casal Sem Vergonha. São ótimos, passa lá! Bjo

Nenhum comentário:

Postar um comentário